oi =}

"Não cobiço nem disputo os teus olhos, não estou sequer à espera que me deixes ver através dos teus olhos, nem sei tão pouco se quero ver o que vêem e do modo como vêem os teus olhos. Nada do que possas ver me levará a ver e a pensar contigo se eu não for capaz de aprender a ver pelos meus olhos e a pensar comigo.
"
(Iniciação - Ademar Santos)

21 de fevereiro de 2010

"Everybody lies"



- Todo mundo mente.
House sempre fala isso.

Quem assiste a série sabe que quase sempre ele tá certo, talvez um "quase nunca tá errado" seja mais adequado.
As mentiras em muitos episódios começam com omissões, informações presas, (que são justamente a chave para o diagnóstico) que levam, em algum ponto, a uma vida fingida.

Interessante como o ponto de partida do House é acreditar que as informações estão incorretas e/ou incompletas.

House é um miserável.
O miserável chato mais legal do mundo!

Mentir, fingir e omitir.
Coisas diferentes, parecidas ou um processo?

Se mentir é contar algo falso que sabe que é falso, se omitir é não falar e se fingir é simular, são coisas totalmente diferentes.

Mas se mentir é não falar a verdade, se omitir é não declarar a verdade e se fingir for não ser verdadeiro são coisas muito parecidas.

Mas se alguém simula as coisas, omite verdades e fala mentiras, é um processo =x

Acho bom pensar, as vezes, que tudo isso seja um processo.
Isso deixa a omissão e o fingimento parecendo fracos perto da mentira.
Ao mesmo tempo que pensando, isoladamente, em cada uma dessas palavras e tentando exemplificar dá pra ver que cada uma tem a sua pessimidade.

Omitir coisas, finjir algumas e mentir em outras, sendo a mentira contada, o fracasso final.

?

Sei lá.


Desabafo: Encasqueto que sei a verdade do que as pessoas fingem.

13 de fevereiro de 2010

NOVO BLOG!

Apresento pra vocês...

... Tcharaaaam!

Meu novíssimo blog!
Não abandonarei esse, claro, até porque são coisas totalmentes diferentes.
Esse é simplesmente sobre mim e o novo falará de mim em uma determinada situação.

Meu útimo ano de Tsáin!
#MEDO

O desenho no topo será eu daqui há um ano, olha aí, toda eu, frescura pura.

Bjos e acompanhe! Prometo que agradecerei no TCC. huAHsuash
=*

6 de fevereiro de 2010

Faxina

Faxinas são interessantes.

Apesar de detestar arrumar as coisas frequentemente acho que uma vez por semestre (isso qd não é 1 vez por ano...) me dá uma doida e eu faço uma faxina geral no meu quarto.
Isso me faz pensar que eu poderia ser uma pessoa mais organizada pra evitar passar 3h em posições que causam dores nas costas.
Mas a faxina é uma estratégia, sempre faço em algum momento oportuno pra mim, e durante o processo eu penso.

Tava com medo de encontrar algum ser estranho durante a faxina. #confesso
Nunca sei o que posso encontrar em dezenas de caixas de sapatos, raramente abertas, mofando.

Na faxina de hoje descobri que tenho sapatos que não uso e eles são até legais. Como um dourado que tá saindo a cor... ele é bonito, tenho que dá um jeito nele.

Descobri uma sandália rosa que só usei uma vez na vida.

Encontrei um brinco que nunca mais tinha visto, ele tava pendurado num porta retrato de coração, que tava enrolado num cordão. huhu

Encontrei uma agulha, com uma linha. Eu devia ter costurado alguma coisa, algum dia, e esqueci a agulha... haha

Encontrei um pirulito cheio de formiga dentro de uma vasilha =x.

Encontrei meus recortes de reportagens do kaká com fotos dele e tal xD

Encontrei uns bilhetinhos da serenata do acampamento.

Encontrei argila, alumina e bauxita. =o

E achei, de 5 em 5 centavos, 35 centavos espalhados pelo quarto. (Daquelas vezes que cai moeda quando se tira uma calça, e vc não sabe pra onde foi... )

Organizei tudo bonitinhooo...
tirei minhas roupas da cadeira, coloquei nas cruzetas, categorizei tudo e me livrei daquelas coisas q vc guarda e acha que vai precisar, mas nunca precisa.

Sabe... me senti tão mocinha hj.
E adora causar espanto e alegrias inesperadas na minha mãe.

2 de fevereiro de 2010

falar sobre amor é muito clichê*

"porque a gente simplesmente não diz essas coisas não ditas
se o que a gente realmente quer é sempre dizê-las? "

Alguém algum dia me disse que as coisas são simples, nós que complicamos.
Nem tudo é tão complicado de ser feito, nem tudo é tão difícil de ser demostrado, nem tudo é tão complexo pra ser falado.

Como diria Gabe em ABC do amor...
O amor não é de palavrinhas ridículas, o amor é de grandes atitudes, o amor é ir mais além mesmo que doa... deixando tudo pra trás. amor é encontrar uma coragem dentro de sim mesmo que você nem sabia que tinha.

Não quero simplesmente falar.
Quero viver.
E é preciso agir.
Ir além... mesmo que doa.
Não uma dor irracional...
Algo lógico, suportável, mas o suficiente pra destruir aquilo que te faz mal por muito tempo, mas você nem se dá conta que é tão ruim.
E quando se dá conta quer acabar com aquilo o mais rápido possível, para que você se sinta bem e o outro também, deixar pra trás o ego, o orgulho, ou o que quer que seja que está impregnado, te atacando por dentro e sendo manifesto sutilmente por fora, ou nem tão sutimente assim.

Mas as coisas não mudam de repente, mesmo que a vontade seja grande.

As vezes penso, nessas situações, que o silêncio da ação, da fala, sei lá, quando qualquer coisa se cala, seja uma contemplação...
Admiração, amando com o pensamento,
onde tudo começa, pra que aquilo seja realmente fortalecido e totalmente verdadeiro.


*Como vi num trailer de um filme recentemente.
"- falar sobre amor é muito clichê

- acho que falar sobre falar que amor é clichê que é muito clichê. "